Festivais de verão proibidos em Portugal até 30 de setembro

Foi hoje decidida em Conselho de Ministros a proibição dos festivais de verão em Portugal até 30 de setembro.

A medida prende-se com o contexto de pandemia de covid-19 e afeta a realização de todos os grandes festivais de verão em Portugal.

Em comunicado, escreve-se que, por essa razão, fica proibida “a realização de festivais de música, até 30 de setembro de 2020”, impondo-se ainda “a adoção de um regime de caráter excecional dirigido aos festivais de música que não se possam realizar no lugar, dia ou hora agendados, em virtude da pandemia”.

Para os espetáculos que se realizassem entre 28 de fevereiro de 2020 e 30 de setembro de 2020, e que não possam acontecer devido à pandemia, o Governo estabeleceu “a emissão de um vale de igual valor ao preço do bilhete de ingresso pago, garantindo-se os direitos dos consumidores”.

O prazo temporal dado pelo Governo atinge não só os festivais que mantinham as datas originalmente previstas (NOS Alive, Super Bock Super Rock, MEO Sudoeste, Vodafone Paredes de Coura e EDP Vilar de Mouros, entre outros), como também o NOS Primavera Sound, que fora adiado de junho para 3, 4 e 5 de setembro.