Nova vaga de frio prestes a chegar à Europa. Temperaturas vão descer 10 graus

As previsões apontam que o período mais frio se vai registar entre 26 de Fevereiro e 4 de Março. A partir desta altura, as temperaturas devem aumentar gradualmente.

A próxima vaga de frio que se vai abater sobre a Europa chega já na próxima semana e vai estender-se até aos primeiros dias de março. Alemanha, França e Reino Unido vão registar as temperaturas mais baixas do ano.

Na próxima semana, as temperaturas devem descer entre 4 a 6 graus Celsius no Reino Unido em relação ao normal e entre 6 a 10 graus na Europa Central. No Leste da Europa, as descidas vão ser ainda mais acentuadas: entre 10 a 15 graus abaixo do normal nesta região, de acordo com as previsões do weather.com.

As previsões apontam que o período mais frio se vai registar entre 26 de fevereiro e 4 de março. A partir desta altura, as temperaturas devem aumentar gradualmente.

O ar frio vai ser acompanhado de humidade, o que pode resultar em grande acumulação de neve. As regiões Este e Sudeste da Europa podem acumular entre 2 a 5 centímetros de neve já na próxima semana.

O culpado do clima frio é um evento climático raro conhecido como um aquecimento estratosférico súbito. O que permite que uma área de alta pressão leve o ar frio da Sibéria para a Europa, de acordo com Matt Dobson, meteorologista da energia no MeteoGroup.Esta alta pressão deverá mudar o centro da Gronelândia para a Islândia, o que fará com que as regiões do Norte da Europa não estejam tão frias como o Centro, aumentando o risco de neve na região central do continente europeu.

Sabe que sintomas a lagarta do pinheiro pode provocar?

Os conselhos partem do Centro de Informação Antivenenos que pertence ao INEM.

Depois de esta semana se ter falado no perigo que a lagarta do pinheiro representa para os animais, o Centro de Informação Antivenenos, do INEM, decidiu explicar aos cidadãos que inseto é este e quais os perigos que representa também para os humanos.

Assim, numa nota publicada no site do INEM lê-se que a lagarta do pinheiro é um “inseto desfolhador dos pinheiros e cedros em Portugal” cujo ciclo de vida tem duas fases.

A primeira, explica o INEM, é formada pelos “ovos e lagartas” e é “aérea”, podendo ser “observada nas copas dos pinheiros”; a segunda, também conhecida por fase de pupa, é subterrânea.

Relativamente à sua composição, estas lagartas têm o corpo dividido em “pequenos segmentos, cada um dos quais com milhares de pelos urticantes de coloração alaranjada que se vão libertando e espalhando pelo ar à medida que a lagarta se desloca”. E aqui mora o perigo pois são estes pelos que, em contacto com a pele, mucosas e olhos provocam as alergias.

Sintomas e tratamento

O efeito tóxico que estes insetos têm nas pessoas passa por reações urticariformes, que são irritações cutâneas com comichão, ardor, pele vermelha e inchaço. Ao entrar em contacto com os olhos os sintomas são idênticos aos de uma conjuntivite e, quando inalados, a pessoa irá ter tosse e dificuldade em respirar cuja gravidade pode variar.

Quanto ao tratamento, o Centro de Informação Antivenenos refere que, numa primeira fase, o ideal é lavar a pele ou os olhos com água corrente, despir a roupa que esteve em contacto com o inseto, aplicar na irritação cutânea uma pomada à base de corticóides e tomar anti-histamínicos.

Caso estes tratamentos não resultem, então o melhor é entrar em contacto com o 112 ou dirigir-se a uma unidade de saúde.

Fisco avisa contribuintes que têm até 15 de Março para limpar terrenos

O Fisco está a avisar os contribuintes de que têm até 15 de Março para limpar o mato e cortar árvores nas proximidades de casas e aldeias, podendo vir a ser multados se não o fizerem.

Em colaboração com o Ministério da Administração Interna e o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) está a enviar um e-mail a todos os contribuintes – mesmo os que não detêm terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais – sobre a “importância da limpeza de terrenos e árvores na prevenção de incêndios”.

Na comunicação, o Fisco afirma que até 15 de março “é obrigatório” limpar o mato e cortar árvores 50 metros à volta das casas, armazéns, oficinas, fábricas ou estaleiros e 100 metros nos terrenos à volta das aldeias, parques de campismo, parques industriais, plataformas de logística e aterros sanitários.

É obrigatório também limpar as copas das árvores quatro metros acima do solo e mantê-las afastadas pelo menos quatro metros umas das outras e cortar todas as árvores e arbustos a menos de 5 metros das casas e impedir que os ramos cresçam sobre o telhado.

“Se não o fizer até 15 de março, pode ser sujeito a processo de contraordenação. As coimas podem variar entre 140 a 5.000 euros, no caso de pessoa singular, e de 1.500 a 60.000 euros, no caso de pessoas coletivas. E este ano são a dobrar”, lê-se na nota.

Recorde-se que com o Orçamento do Estado para 2018 (OE2018) foi aprovado o regime excecional das redes secundárias de faixas de gestão de combustível, que define que este ano a limpeza deve ocorrer até 15 de março e que as multas serão o dobro, ou seja: até 10 mil euros no caso de pessoa singular e 120.000 euros no caso de pessoas coletivas.

O decreto-lei 124/2006, de 28 de junho, que estabelece as medidas e ações a desenvolver no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, define que os “proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais, são obrigados a proceder à gestão de combustível”.

Este ano, e até 31 de maio, as Câmaras Municipais podem substituir-se aos proprietários na limpeza do mato, sendo que os proprietários são obrigados a permitir o acesso aos seus terrenos e a ressarcir a Câmara do valor gasto na limpeza, recorda o Fisco na comunicação de hoje.

Na mesma comunicação divulgada hoje, os contribuintes são aconselhados a manter-se informados sobre o risco de incêndio na área de residência, a verificar se o sistema de rega e mangueiras funciona, a limpar telhados e a colocar redes de retenção de fagulhas na chaminé.

TOME NOTA

Tome Nota

Há várias mudanças no IRS.Actualize os seus dados até 15 de Fevereiro

Casou ou teve um filho? Tem de informar o fisco até dia 15 de Fevereiro.

Há várias mudanças no IRS a ter em conta. Uma das novidades é poder atualizar no Portal das Finanças a composição do agregado familiar.

Ano novo, IRS novo. Todos os anos há mudanças no IRS que devem ser tidas em conta. Em 2018, e por causa do alargamento da declaração automática, os contribuintes devem aceder ao Portal das Finanças e entrar numa nova funcionalidade que lhes permite declarar a composição do seu agregado familiar a 31 de dezembro de 2017.

Esta informação é relevante para que a AT a inclua no cálculo da declaração automática do IRS e também para permitir a ‘divisão’ de despesas e deduções no caso dos contribuintes que têm dependentes em guarda conjunta. Esta atualização da composição do agregado familiar deve ser feita até dia 15 de fevereiro – a mesma data que deve ser observada para fazer uma última vistoria às faturas.

Dinheiro Vivo