Falar D´Aqui – 17 Maio 2020

Em destaque no Programa da Direcção de Informação da Rádio Alto Ave, o Falar D’aqui de domingo 17 de Maio a situação da actividades económicas no concelho nomeadamente, o comércio que retomou a actividade, a Construção Civil e o turismo.

Qual o impacto desta situação no sector, que alterações pode trazer, que apoios existem e  a sua eficácia como foi esta primeira semana de retorno à actividade e com que  perspectiva para o ano foi a proposta aos convidados,  Carlos Lameiras gerente de estabelecimento de design e marketing, Armando Lemos do Sector da Construção Civil que também desenvolve um projecto de produção biológica de ovos, José Carlos Pereira gerente de comercial de materiais de construção civil e outros, Daniela Veloso e Carla Ferreira, de pronto a vestir, Aurora Marques, gerente de agencia de viagens e António Afonso Barroso, Vereador da Câmara Municipal de Vieira do Minho.

Município de Vieira do Minho disponibiliza Estádio Municipal aos Ginásios

O Município de Vieira do Minho vai disponibilizar o Estádio Municipal de Vieira Do Minho para que os Ginásios possam realizar as suas actividades de grupo, cumprindo todas as normas de segurança emitidas pela Direcção Geral da Saúde.
No momento em que se encontram impedidos de realizar a prática desportiva dentro dos seus equipamentos, o Município vai colocar à disposição dos ginásios e grupos com actividade no concelho este equipamento municipal que oferece todas as condições de segurança.
O Estádio Municipal pode ser utilizado gratuitamente mediante reserva.
Os interessados em usufruir deste apoio devem contactar o Departamento Desportivo do Município de Vieira do Minho, através do seguinte telefone 253 649 270

Avisos de candidaturas ao programa Adaptar abrem hoje sexta-feira dia 15

Os avisos para as candidaturas ao Programa Adaptar, que contempla apoios para as micro, pequenas e médias empresas se ajustarem às regras do desconfinamento, abrem hoje.

Com uma dotação de 100 milhões de euros, o Programa Adaptar visa apoiar as empresas nos custos com a aquisição de equipamentos de proteção individual para trabalhadores, equipamentos de higienização, contratos de desinfeção ou gastos com organização do espaço.

No caso das microempresas (até 10 trabalhadores), o Adaptar contempla um apoio em 80% a fundo perdido para despesas entre os 500 e os 5.000 euros, sendo elegíveis as realizadas desde 18 de março, data da declaração do estado de emergência.

Em comunicado enviado às redações, o Ministério da Economia e da Transição Digital adianta que o acesso ao programa será feito através de um regime simplificado de candidatura, “baseado num orçamento de despesas por grandes rubricas, em que a confirmação dos requisitos administrativos obrigatórios é efetuada de forma automática pelo sistema de gestão de candidaturas ou mediante declaração do promotor”.

A decisão sobre a candidatura, refere o ministério tutelado por Pedro Siza Vieira, será tomada em 10 dias úteis.

O Adaptar dirige-se também às pequenas e médias empresas (PME), sendo aceites projetos entre 5.000 e 40.000 euros, com um financiamento de 50% a fundo perdido, no âmbito do Portugal 2020, através do Compete e dos programas operacionais regionais.

No caso das PME, a decisão sobre a candidatura será tomada em 20 dias úteis.

Em ambas a situação, após a validação do termo de aceitação da candidatura, será processado um adiantamento automático de valor equivalente a 50% do incentivo aprovado.

O Programa Adaptar foi aprovado pelo Conselho de Ministros na terça-feira.

Entre as despesas elegíveis para os apoios do Adaptar incluem-se a aquisição de máscaras, luvas ou viseiras, a compra e instalação de dispositivos de pagamento automático, a contratação de serviços de desinfeção das instalações, por um período máximo de seis meses, ou ainda as despesas com a intervenção de contabilistas certificados ou revisores oficiais de contas, na validação da despesa dos pedidos de pagamento.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 300 mil mortos e infetou quase 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Em Portugal, morreram 1.184 pessoas das 28.319 confirmadas como infetadas, e há 3.198 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais

Festivais de verão proibidos em Portugal até 30 de setembro

Foi hoje decidida em Conselho de Ministros a proibição dos festivais de verão em Portugal até 30 de setembro.

A medida prende-se com o contexto de pandemia de covid-19 e afeta a realização de todos os grandes festivais de verão em Portugal.

Em comunicado, escreve-se que, por essa razão, fica proibida “a realização de festivais de música, até 30 de setembro de 2020”, impondo-se ainda “a adoção de um regime de caráter excecional dirigido aos festivais de música que não se possam realizar no lugar, dia ou hora agendados, em virtude da pandemia”.

Para os espetáculos que se realizassem entre 28 de fevereiro de 2020 e 30 de setembro de 2020, e que não possam acontecer devido à pandemia, o Governo estabeleceu “a emissão de um vale de igual valor ao preço do bilhete de ingresso pago, garantindo-se os direitos dos consumidores”.

O prazo temporal dado pelo Governo atinge não só os festivais que mantinham as datas originalmente previstas (NOS Alive, Super Bock Super Rock, MEO Sudoeste, Vodafone Paredes de Coura e EDP Vilar de Mouros, entre outros), como também o NOS Primavera Sound, que fora adiado de junho para 3, 4 e 5 de setembro.

Transporte público – Rede de transportes novamente activa

Após uma reunião de trabalho entre o presidente do Município, António Cardoso, e os três operadores de transporte que circulam no concelho, ficou decidido que o serviço de transporte público vai retomar o seu funcionamento.

No seguimento do cancelamento das atividades letivas, e com a declaração do estado de emergência, o transporte público de passageiros foi totalmente suspenso no concelho.

António Cardoso assume esta decisão como uma medida essencial, pois o concelho tem uma área extensa e desta forma, os inúmeros Vieirenses que dele dependem, sentem-se mais ligados à sede do concelho.

A reativação deste serviço de transporte público é prioritária, pois são muitas as pessoas que precisam deslocar-se à sede do concelho para consultas ou tratamento no centro de saúde, acesso aos diferentes serviços públicos, adquirir bens, ou tratar dos mais variados assuntos.

Durante a pandemia de covid-19, este serviço irá ser realizado, respeitando todas as normas de segurança, nomeadamente a utilização de máscara de proteção.

Futebol – Vieirense Rafael Vieira a caminho da Liga NOS

Nacional e Farense promovidos à I Liga

A direção da Liga de clubes decidiu hoje a subida de Nacional e Farense à I Liga portuguesa de futebol e a despromoção de Cova da Piedade e Casa Pia ao Campeonato de Portugal, em reunião extraordinária.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) diz que “fixou” as promoções dos dois primeiros classificados da II Liga, Nacional e Farense, e a despromoção dos dois últimos, Cova da Piedade e Casa Pia, que terão de ser aprovadas em Assembleia Geral do organismo.

O atleta natural de Guilhofrei, formado no Vitória de Guimarães, na última temporada jogou no SC da Covilhã e em declarações ao JV, Rafael Vieira referiu “Quanto a subida é um sonho. Estamos preparados para todos os cenários, mas aquilo que podemos controlar é trabalhar para quando o campeonato recomeçar continuarmos a excelente época que estamos a realizar. Convém relembrar que das 24 jornadas jogadas até agora estivemos em 22 em zona de subida. Esperamos l voltar a colocar este clube histórico na primeira liga, que é onde merece estar”

Povoa de Lanhoso – Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos valorizado com Centro BTT

A criação do Centro BTT é a valência que se destaca dos trabalhos em curso de requalificação e valorização do Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos. O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, esteve no terreno para acompanhar o decorrer desta intervenção, que prevê um investimento de cerca de 300 mil euros.

“Estamos a cumprir o plano de atividades e o nosso compromisso com os Povoenses”, declara o Presidente da Câmara Municipal, Avelino Silva. “Temos a preocupação primeira do combate e da contenção da pandemia, mas não podemos parar o desenvolvimento do nosso concelho”, acrescenta.

O Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos é o equipamento municipal onde se centralizam as atividades de sensibilização e educação ambiental e que verá as suas respostas ampliadas e as suas instalações requalificadas. A construção do Centro BTT e a intervenção no edifício existente, melhorando a sua eficiência energética, dotará ainda mais este equipamento das melhores condições.

As obras referem-se à demolição de um edifício em pré-fabricado em madeira e à construção de um novo para o centro BTT.

A área onde se situa o Carvalho de Calvos e o Centro Interpretativo é um polo de atração de visitantes com variados interesses, como sejam a prática de desportos ao ar livre, como o BTT. Nesse sentido, o Município decidiu avançar para a criação de uma infraestrutura de apoio a uma rede de trilhos de BTT, sendo que o projeto foi elaborado de acordo com as recomendações da Federação Portuguesa de Ciclismo.

O projecto prevê ainda outros trabalhos exteriores, como a melhoria de acessos pedonais.

Agente da PSP, Renato Fernandes, natural de Vieira do Minho salva idoso do incêndio em Braga

A PSP dá conta em comunicado que: “No passado dia 03 de maio de 2020, pelas 13H10, foi solicitada a presença desta Polícia na Rua Fernando de Oliveira Guimarães, S. Victor – Braga, em virtude de ali estar a decorrer um incêndio. Os elementos desta Polícia quando chegados ao local, ainda na via pública, depararam-se com uma coluna de fumo negro a sair da janela de um dos apartamentos do prédio com o número de Polícia 22. Os elementos daquela tripulação, enquanto elementos de proteção Civil de 1.ª Linha, subiram ao andar em causa e depararam-se com uma porta aberta, de onde provinha o fumo, ainda pouco neste momento, tendo um dos elementos (Agente Principal Soares) acompanhado a proprietária que se encontrava à porta para o exterior e o segundo elemento (Agente Renato Fernandes), tendo conhecimento que ainda se encontravam dois idosos no interior daquele apartamento, entrou com o intuito de os retirar daquele local”.

Agente Renato salva idoso do incêndio

Em forma de agradecimento dá conta esta polícia que “Em poucos segundos, o fumo alastrou-se por toda a área do apartamento, tornando o ar do local completamente irrespirável. Poucos segundos depois o Agente Renato Fernandes conseguiu sair do apartamento com um dos idosos, sendo o segundo idoso retirado com o auxílio do filho da proprietária do apartamento. Uma vez que o andar do apartamento, bem como os inferiores, estavam completamente intransitáveis, os idosos foram encaminhados para os pisos superiores, que se encontravam limpos de fumo”.

Bombeiros extinguiram o incêndio

Conta a PSP que “posteriormente, chegaram os Bombeiros Sapadores ao local, que controlaram e extinguiram o incêndio, criando-se condições para que os idosos e os elementos desta Polícia saíssem para o exterior em segurança, tendo os dois idosos e o Agente Renato Fernandes, sido encaminhados e assistidos no Hospital de Braga, por inalação de fumos. Do incêndio, há ainda a registar danos na cozinha do apartamento (forno, mobília e pintura das paredes). O Agente Renato Fernandes desta Polícia encontra-se bem de saúde, estando já a trabalhar”.

Ralicrosse de Montalegre reagendado para outubro

A prova estava inicialmente prevista para o fim de semana de 2 e 3 de maio, mas foi adiada devido à COVID-19.

A prova de Montalegre do Mundial de Ralicrosse (WRX) deverá ser adiada para o dia 11 de outubro, anunciou hoje a organização do campeonato.

Inicialmente prevista para o fim de semana de 02 e 03 de maio, mas adiada devido à pandemia da covid-19, a jornada portuguesa, que este ano regressa ao calendário mundial após um ano de ausência, foi hoje reagendada para o fim de semana de 09 a 11 de outubro.

Será a quinta de oito provas previstas no Mundial de Ralicrosse (WRX), cujo início ficou aprazado para 23 de agosto, na Suécia.

Seguem-se as jornadas de França, Letónia e Bélgica antes da jornada lusa. O campeonato prossegue, depois, para Espanha e Abu Dhabi, ainda em outubro, antes da ronda final, na Alemanha, já a 13 de dezembro.

O Mundial de Ralicrosse é um dos campeonatos da Federação Internacional do Automóvel, que tem, ainda, sob a sua égide, os campeonatos de Fórmula 1, Ralis, Resistência, Fórmula E e Todo-o-Terreno.

Com a declaração de pandemia, em 11 de março, inicialmente alguns eventos desportivos foram disputados sem público, mas, depois, começaram a ser cancelados, adiados – nomeadamente os Jogos Olímpicos Tóquio2020, o Euro2020 e a Copa América – ou suspensos, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais de todas as modalidades.

Primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa assinala-se hoje

O primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa assinala-se hoje com uma cerimónia e um concerto online em que participam duas dezenas de personalidades lusófonas da política, letras, música ou desporto.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) oficializou a data no ano passado, mas desde 2009 que, em 05 de maio, era comemorado o Dia da Língua e da Cultura Portuguesa, instituído pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A iniciativa resulta de uma parceria entre o Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, CPLP, representação portuguesa na UNESCO, ONUNews e RTP, e será transmitida às 12:00 de Portugal no canal Youtube do Camões.

Serão difundidas mensagens do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, do primeiro-ministro português, António Costa, do chefe de estado de Cabo Verde e presidente em exercício da CPLP, Jorge Carlos Fonseca, do secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, e do embaixador Sampaio da Nóvoa, representante de Portugal na UNESCO.

A estes, juntaram-se cerca de duas dezenas de outras personalidades lusófonas incluindo escritores, músicos, cineastas ou cientistas.

Entre eles contam-se os escritores Mia Couto (Moçambique), Germano Almeida (Cabo Verde) ou Manuel Alegre (Portugal) e os cantores Adriana Calcanhoto (Brasil), Dino Santiago (Portugal/Cabo Verde) ou Carminho (Portugal).

Participam também o futebolista Pedro Pauleta, o canoísta Fernando Pimenta (Portugal), o cineasta Flora Gomes (Guiné-Bissau), a cientista Maria Manuel Mota, o teólogo e cardeal José Tolentino de Mendonça (Portugal) ou o político timorense José Ramos-Horta, entre outros.

A efeméride contará ainda com um espaço de concerto com os músicos do Aline Frazão (Angola), Ivan Lins (Brasil), Teófilo Chantre (Cabo Verde), Manecas Costa (Guiné-Bissau), Stewart Sukuma (Moçambique), João Gil (Portugal), Tonecas Prazeres (São Tomé e Príncipe) e Zé Camarada (Timor-Leste).

Além deste evento ‘online’, haverá ainda iniciativas nos vários países lusófonos.

Será também divulgado um estudo sobre “A língua portuguesa como ativo global” e lançado um concurso literário para estudantes de língua e literaturas portuguesas espalhados pelo mundo.

Os “Contos do Dia Mundial da Língua Portuguesa”, iniciativa do instituto Camões, da Porto Editora e do Plano Nacional de Leitura (PNL) desafia os alunos de português a escreverem um conto inédito, de uma a três páginas.

O português é falado por mais de 260 milhões de pessoas nos cinco continentes, ou seja, 3,7% da população mundial.

É língua oficial dos nove países-membros da CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) e Macau, bem como língua de trabalho ou oficial de um conjunto de organizações internacionais como a União Europeia, União Africana ou o Mercosul.

Lusa