Grande Prémio do Minho: Jhonatan Chaves coroado em Castro Laboreiro

O colombiano Jhonatan Chaves (Team Ingenieria de Vías/Monsalud) é o vencedor do 31.º Grande Prémio do Minho, depois de hoje ter sido o oitavo classificado na terceira e última etapa, uma ligação de 105,6 quilómetros entre Melgaço e Castro Laboreiro, ganha pelo chileno Cristobal Ramirez (Arte em Transfer/LPS).

A etapa decisiva foi endurecida desde o começo, com o pelotão a optar por um ritmo elevado, que não permitiu que os corredores interessados no protagonismo de uma fuga tivessem sucesso.

 O encadear de dificuldades deixou treze corredores em cabeça de corrida. Foi esse grupo que abordou na frente a escalada final, de primeira categoria, para Castro Laboreiro. A longa extensão da subida fez com que alguns dos ciclistas mais adiantados perdessem posições, permitindo o aproximar de trepadores vindos de trás.

O camisola amarela, Jhonatan Chaves, esteve sempre atento e controlou as movimentações. Do grupo em cabeça de corrida apenas conseguiu sair Cristobal Ramírez, que começou a etapa com quase dois minutos de atraso para o topo da geral.

O chileno desferiu um forte ataque a 5 quilómetros do final e conseguiu cortar a meta na frente, ao fim de 2h56m46s de corrida. O grupo dos principais candidatos demorou mais 20 segundos, com Thomas Silva (Arte en Transfer/LPS) e João Carvalho (Bairrada) nas posições imediatas.

Jhonatan Chaves assumiu o comando na primeira etapa em linha e nunca mais largou a camisola amarela. Terminou a competição com uma vantagem de 58 segundos sobre João Macedo (Bairrada) e de 1m01s para Daniel Morales (Fundación Lintxu/GD Indarra), segundo e terceiro, respetivamente.

O belga Joran Wyseure (ACROG/Pauwels Sauzen/Balen BC) venceu a classificação por pontos (camisola amarela – Score Tech), André Domingos (Escola de Ciclismo Bruno Neves) conquistou o estatuto de melhor trepador (camisola azul – Arrecadações da Quintã), Fábio Fernandes (Efapel/Escola de Ovar) foi o melhor júnior de primeiro ano (camisola laranja – Cision) e João Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) destacou-se entre os minhotos (camisola branca – Universidade do Minho). Por equipas venceram os colombianos da Team Ingeniería de Vías/Monsalud.

Destinado ao escalão de juniores e organizado pela Associação de Ciclismo do Minho, em colaboração com a Federação Portuguesa de Ciclismo, o 31º Grande Prémio do Minho contou com um pelotão de cerca centena e meia de ciclistas em representação de 24 equipas, 17 portuguesas, uma belga, uma colombiana e cinco espanholas.

Grande Prémio do Minho em ciclismo em Vieira do Minho

O Grande Prémio do Minho em ciclismo regressa à estrada de 25 a 28 de julho com Melgaço, Guimarães e Vieira do Minho a assumirem um papel de destaque no desenrolar da competição. Destinado ao escalão de juniores e organizado pela Associação de Ciclismo do Minho, em colaboração com a Federação Portuguesa de Ciclismo, o 31º Grande Prémio do Minho será disputado por um pelotão de cerca de centena e meia de ciclistas em representação de 24 equipas, 17 portuguesas, uma belga, uma colombiana e cinco espanholas.

Com o arranque da competição em Melgaço com um contrarrelógio por equipas, a primeira etapa terá início no centro da cidade de Guimarães e terminará em Santo Antonino, na freguesia vimaranense de Mesão Frio. Vieira do Minho, terra de encantos, ao acolher a partida e chegada da segunda etapa será o concelho que ajudará a definir o vencedor da 31ª edição do Grande Prémio do Minho. O pelotão rumará no último dia até Melgaço, o Município mais a Norte de Portugal, para enfrentar um trajeto delineado no “destino de natureza mais radical de Portugal” que terminará em Castro Laboreiro onde no ano passado se assistiu a uma chegada épica do Grande Prémio do Minho.

Passagem em Vieira do Minho

2ª etapa – Sábado, 27 de julho de 2019

Vieira do Minho > Vieira do Minho – 97 km´s

Vieira do Minho – Terra de Encantos

Partida: 13h00 – Avenida Barjona de Freitas (Vieira do Minho)

Chegada: 15h33 – Avenida Barjona de Freitas (Vieira do Minho)

Metas Prémio da Montanha

• Serradela (1ª catª) – Km 43,4 (melhor horário: 14h08) – MM Arrecadações da Quintã

Metas Volantes

• Vieira do Minho (passagem pela meta) – Km 19,3 (melhor horário: 13h30) – MV SCORE Tech

• Vieira do Minho (passagem pela meta) – Km 75,1 (melhor horário: 14h58) – MV SCORE Tech

Exploração de Recursos Minerais no Concelho de Vieira do Minho

Exploração de Recursos Minerais no Concelho de Vieira do Minho

A Fortescue Metals Group Exploration Pty Ltd., requereu no dia 15 de Março de 2019 a atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais de ouro, prata, chumbo, zinco cobre, lítio, tungsténio, estanho e outros depósitos minerais ferrosos e minerais metálicos associados, numa área denominada “Viso”, localizada no concelho de Vieira do Minho, Montalegre, Cabeceiras de Bastos e Fafe.

Foram publicados em Diário da República, no dia 16 de Março, dois avisos através Direcção Geral de Energia e Geologia nomeadamente os avisos 6518/2019 e 6133/2019, onde a Fortescue Metals Group Exploration requereu a atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais como o lítio, tungsténio, entre outros.

Os anúncios são para as áreas denominadas “Cruto” (99,1 km2, localizados no concelhos de Braga, Barcelos e Vila Verde), “Fojo” (74,7 km2, nos concelhos de Melgaço, Monção e Arcos de Valdevez), “Viso” (133,3 km2, em Vieira do Minho, Montalegre, Cabeceiras de Bastos, Fafe); “Calvo” (375,2 km2, nos concelhos de Almeida, Pinhel e Figueira de Castelo Rodrigo), “Crespo” (189,6 km2, em Idanha-a-Nova) e “Nave” (308,5 km2, nos concelhos de Guarda, Almeida e Sabugal).

As emissões de partículas em suspensão constituem o poluente de maior relevo, a par do ruído e das escorrências que contaminarão os cursos de água. A escavação e a remoção de milhões de toneladas de minério por ano, apenas a centenas de metros de distância de várias localidades do concelho, terão como consequência inevitável a poluição do ar e dos recursos hídricos. As emissões de poeiras compostas, entre outros, por sílica, podem provocar doenças respiratórias.

 

A contestação da população tem-se sentido um pouco por todo o lado já que a vida destas populações tornar-se-à um inferno 24 horas por dia todo o ano, os sistemas ecológicos e os sistemas produtivos locais seriam gravemente afectados pela exploração mineira de grande dimensão. Esta realidade é escondida na sugestiva campanha publicitária para o lítio português que abasteceria um mercado europeu de baterias de Iões-LI para carros eléctricos. De facto, os custos ambientais da extracção do lítio não permitem dizer que se trata de uma tecnologia limpa. É altamente consumidora de água, energia, espaços naturais, e é altamente poluente. Os riscos ambientais e sociais são elevados.

Rali de Vieira do Minho 2019 (Audio)

Rali de Vieira do Minho 2019

Ricardo Marques/Hugo Rodrigues, venceram o Rali de Vieira do Minho, prova pontuável para o Campeonato Norte de Ralis, que aqui cumpria a sua segunda jornada.

Esta equipa Vieirense, consegui atingir o pleno ao cronometro, ao colocar o Hyundai i20 da Racing4You no primeiro lugar do pódio.

Em declarações à Radio Alto Ave Ricardo Marques disse que esta prova serviu para testar para o Rali de Portugal.

O grande vencedor entre os interessados ao Campeonato foi o gondomarense Filipe Madureira em Mitsubishi Evo IX da Peres competições, que ficou a 1:56,6 de Marques, deixando atrás de si, Lucas Simões (Mitsubishi Evo VI) a 7,3 , que ainda tentou lutar pela vitória.

Filipe Madureira disse aos Microfone das Rádio Alto Ave estar muito satisfeito com a sua prestação nesta prova.

 

Nas duas rodas motrizes, Ricardo Matos que estreava aqui o Peugeot 208 R2, foi quarto classificado da geral, valendo-lhe os louros entre os 2WD.

A outra equipa de V.Minho, Filipe Ferreira/Rui Rocha, consegui chegar ao final do Rali na 14ª posição à geral, depois de terem entrado no dia de hoje (domingo) na ultima posição. Lutaram com problemas no Citroen Saxo Cup ao longo da prova, tendo ainda somado uma penalização de 1:20, por terem saído do parque fechado no dia de sábado com um atraso de 8 minutos.

Em declarações à Alto Ave Filipe Ferreira disse que foi um rali muito difícil mas estava satisfeito com o final

 

Repórter Joaquim Ramalho

Foto: Digital Racing Photo

Feira semanal no Centro da Vila

A Câmara Municipal de Vieira do Minho informa que, devido às obras de requalificação do Largo da Feira, a Feira semanal irá realizar-se no perímetro central da Vila até ao final do ano de 2018.
Neste sentido, o trânsito poderá ficar condicionado, sendo certo que o estacionamento estará proibido das 05h00 às 16h00, nos dias de feira, nos seguintes locais:
– Avenida Barjona de Freitas;
– Rua João de Deus;
– Praça Dr. Guilherme de Abreu;
– Rua Padre José Carlos Alves Vieira ( a partir dos Bombeiros até ao Centro da Vila);
– Largo Prof. Brás da Mota.

Pelo incómodo e transtorno que a obra possa vir a causar nos utentes desta via, a Câmara pede a máxima compreensão de todos, sendo certo que se trata de uma obra em prol do bem-estar e benefícios de todos os vieirenses.